MUTHIYANA DE FIBRA: É preciso educar para evitar violência na família

Nome: Edna Matavel

Idade: 21 anos

Naturalidade: Maputo

Residência: Maputo

Ocupação: Estudante

Conquistas: A “muthiyana” de fibra do jornal domingo vem marcando a sua existência através da escrita criativa e talqualmente decisiva, sob ponto de vista de posicionamento em relação às barbaridades que ocorrem na sociedade. De texto em texto, Edna Matavel expande a sua indignação, deixando claro que é contra qualquer tipo de violência doméstica, motivo pelo qual cria narrativas que reflectem esta realidade.

Chama particular atenção para os casos que envolvem mulheres, sendo que, “muitas vezes, quando se tem crianças envolvidas, faz com que as mesmas cresçam com um comportamento sádico; outras isolam- -se da sociedade, achando-se inferiores por terem vivido num ambiente de abusos; outras ainda tornam-se seres violentos na família e com outras crianças…”. Entretanto, ressalva que também existem homens que sofrem maus-tratos. Por este e outros motivos, especialmente no caso de mulheres e crianças, maiores vítimas, “penso que, desde cedo, se deve incutir o espírito de luta pelos direitos de cidadania e liberdade de expressão, o que ajudará no baixo índice de abusos. É preciso denunciar, e, quanto mais cedo, melhor”. Na realidade, “há necessidade de não se normalizar a violência; de evitar que seja ferida a integridade física de um ser humano”.

Sonho: Admiradora de Mia Couto, através do seu instrumento de expressão, a escrita, sonha em “participar num concurso literário entre os países lusófonos; numa feira de livro; escrever e publicar um livro”. Entretanto, “o maior de todos é ganhar uma bolsa de estudos para fazer literatura no estrangeiro”.

Classifique este item
(0 votes)