SAÚDE: Seis alimentos que aumentam a imunidade

1. Alho e cebola

Para muitas pessoas, essa dupla é o “carro abre-alas” de qualquer preparação na cozinha. Se é assim para você também, óptimo! A cebola e o alho são ricos em vitaminas A, C, E e do complexo B, que são antioxidantes e também combatem o estresse e o desânimo. Além disso, contêm selênio e alicina, substâncias poderosas para fortalecer o sistema imune e afastar o risco de tumores.

2. Frutas cítricas

“Vitamina C e cama” é a receita mais famosa do mundo de combate à gripe. E não é à toa, já que as frutas cítricas contêm grandes quantidades da substância, que é antioxidante e contribui de modo significativo para o aumento da imunidade.

3. Gengibre

O gengibre é uma raiz muito conhecida pelo seu poder anti-inflamatório e termogênico. Rico em vitamina B6 e C, tem acção bactericida e é um forte combatente das dores e inflamações da garganta. Se você tem dificuldade de incluí-lo nas refeições, aposte em fatias finas no seu chá!

4. Beterraba

Além de conferir uma coloração característica e belíssima aos pratos, a beterraba contém altas doses de fibras, potássio, cálcio, magnésio e vitamina C. Isso tudo faz dessa raiz tuberosa um potente alimento para fortalecer a imunidade e, adicionalmente, suavizar os efeitos do envelhecimento.

5. Fígado

O fígado faz parte do grupo de alimentos que ou você ama ou você detesta. Se o seu caso é o primeiro, aproveite! O fígado contém vitaminas A, D e do complexo B, além de ser rico em ferro. Contudo, recomenda-se o consumo moderado, principalmente para quem sofre de doenças crónicas do coração, uma vez que o fígado tem alto teor de colesterol. Gestantes também devem ficar atentas, em especial no primeiro trimestre da gravidez.

6. Salmão

O salmão é outro alimento amplamente reconhecido pelos seus benefícios à saúde, como melhorar a memória. Outros pontos positivos são a regulação das células do sistema imunológico e a presença de propriedades anti-inflamatórias, auxiliando, também, no combate à tendinite e à depressão.

 

Fonte: Cemig Saúde

Classifique este item
(0 votes)