DICAS DA VOVÓ: Homem não deve ficar de olho no salário da mulher

– diz a vovó Palmira Matsimbe

Tem-se acompanhado, na conjuntura social dos tempos actuais, alguns debates em torno do pagamento das contas dentro do lar. Vários cenários são visíveis, a título de exemplo: i) homem avarento, sendo a única fonte de rendimento, que coloca a família à pão e água e, a cada deitar, chora copiosamente lamentando-se por falta de dinheiro; ii) homem e mulher trabalhadores, que planeiam e dividem as despesas de casa, procurando proporcionar, até onde conseguem, boa vida aos seus; iii) homem e mulher trabalhadores, entretanto o chefe de família entende, baseado nos seus conceitos ou se escondendo por trás destes, que a mulher deve se virar, uma vez que ela ganha o seu. Há quem até afirma que “as mulheres têm mania de que são emancipadas, então que carreguem a casa nas suas costas”.

Mas a vovó Palmira Matsimbe, em conversa com o jornal domingo, desarruma todos os cenários aqui descritos e, quando chamada a dar a sua opinião, posiciona-se afirmando que “o homem não deve ficar de olho no salário da mulher”. Pelo contrário: “Depois de ter o salário na mão, ele deve mostrá-lo à mulher. Todo.  Juntos, porão em acção o que foi planificado para o mês”. E a mulher não tem essa obrigação caso trabalhe? A vovó Matsimbe dispara: “Não!”, e argumenta, em seguida: “o homem tira a mulher da casa da sua família, onde comia, bebia e dormia. No luxo ou não, ela tinha estas condições. Por isso, que não exija o dinheiro da mulher”. Ainda assim, aconselha, “por uma questão de respeito, a informar o marido sobre os seus ganhos”. Entretanto, se tratará de cumprir uma mera formalidade, pois, para a vovó Palmira, no final das contas, “o homem deve dispensar o dinheiro da mulher, para que ela satisfaça os seus desejos”.  

 

Classifique este item
(0 votes)