Caçador furtivo condenado a 16 anos de prisão no Niassa

O Tribunal Judicial da Província de Cabo Delgado condenou, na segunda-feira, André Baridi Mambondo, de 31 anos de idade, à pena única de 16 anos de prisão efectiva pela prática de caça furtiva na forma tentada em concurso com uso de armadilhas no interior da Reserva Especial do Niassa (REN).

O condenado foi capturado no dia 10 de Novembro de 2020 e o julgamento decorreu a 25 de Março de 2021, devendo cumprir a pena na Penitenciária Provincial de Cabo Delgado, em Mieze.

Segundo a acusação, Mambondo foi surpreendido por volta das 17.00 horas do dia 10 de Novembro do ano passado por três fiscais daquela área de conservação na zona Ndandango na posse de instrumentos compostos por 20 armadilhas mecânicas de caça, arco com seis flechas, faca, catana e uma lima que transportava numa bicicleta.

Os bens foram apreendidos e examinados pelo Departamento de Técnica Criminalística de onde se concluiu que se tratava de objectos cortantes, perfurantes, afiados e com pontas aguçadas que podem causar lesão ou a morte de pessoas e de animais.

Na Reserva Especial do Niassa, assim como em todas as áreas protegidas do país, é proibida a actividade de caça não autorizada. (Fim)

Texto de Benjamim Wilson

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)