ALCINDA CIPRIANO, INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS: Aprendi a língua de sinais para me comunicar com meus irmãos

Aprendeu a usar a língua de sinais em tenra idade. A necessidade de comunicar- -se com os cinco irmãos surdos fê-la desenvolver a habilidade. Chama-se Alcinda Cipriano, 38 anos, intérprete de língua de sinais na Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e também na Televisão Pública de Moçambique (TVM).

A emoção que transmite nas suas palavras denota o quanto gosta do trabalho que exerce. Por isso, na sua família, era a única filha que se comunicava fluentemente com os cinco irmãos mais velhos que nasceram com surdez.

“Quando a minha mãe saísse para os seus compromissos religiosos eu ficava com os meus irmãos e porque era com eles que passava grande parte do tempo tinha a necessidade de me comunicar com eles. Nisso usava gestos e fui aprendendo desta forma”.

Para ela, a linguagem gestual não se aprende somente na escola, já que o país ainda não possui uma escola para pessoas com surdez.

No entender de Alcinda Cipriano, os professores não estão capacitados para orientar os alunos especiais.

“Apesar de já termos um curso na UEM, a nossa realidade mostra que a nossa educação ainda não é inclusiva. Penso, igualmente, que os professores do ensino primário deviam ter alguma noção de língua de sinais”. Leia mais...

TEXTO DE LUÍSA JORGE

luíThis email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)