SAÚDE: Há substâncias nocivas em alguns protectores solares

Foram identificados 29 ingredientes em 71 protectores solares infantis que podem ser nocivos para as crianças, segundo um estudo francês. Saiba o que deve ter em atenção na hora de comprá-los.

Os 29 ingredientes químicos identificados podem afectar o sistema hormonal, o metabolismo e o crescimento das crianças, assim como causar problemas de fertilidade e alergias, alerta um estudo do Laboratoire National de Métrologie et d'Éssais.

Estas substâncias – utilizadas como conservantes, filtros solares, para perfumar ou tornar mais cremoso – foram encontradas em 71 produtos analisados (39 cremes/loções/leites e 32 sprays), entre Março e Maio de 2020, de diversas marcas à venda em farmácias, supermercados e lojas bio, com os preços a variarem entre os 8 euros e os 26,95 euros. “Nove destes produtos contêm uma mistura de mais de dez ingredientes preocupantes”, alerta o estudo.

Em três protectores solares foram encontradas “nanopartículas [de substâncias] que não estão identificadas no rótulo” e que, por serem microscópicas, podem entrar na circulação sanguínea. São eles o Anthelios SPF 50+ Leite Bebé (La Roche-Posay) com dióxido de titânio; Nivea Sun Kids Protect & Play Sensitive 50+ formato viagem com sílica e o creme solar 50+ para crianças dos Laboratórios de Biarritz-Alga Maris com dióxido de titânio e óxido de zinco.

As conclusões foram reveladas por duas organizações não-governamentais – WECF (Women Engage for a Common Future) e Agir pour l'Environnement – que exigem que estas “substâncias extremamente preocupantes” desreguladoras do sistema endócrino (hormonal), nanopartículas e ingredientes que dão perfume e têm potencial alergénico sejam banidas, principalmente dos produtos para crianças, que por terem as defesas em desenvolvimento são ainda mais vulneráveis à sua exposição.

Fonte: JN

Classifique este item
(0 votes)