MUTHIYANA DE FIBRA: Quero transmitir aos mais novos o que aprendi em radiojornalismo

Nome: Maria Josefina Beatriz Augusto Pinto

Idade: 54 anos

Naturalidade: Vilanculos, Inhambane

Profissão: Jornalista com categoria de editora

Conquistas: É licenciada em jornalismo e mestre em jornalismo e mídias digitais.  Profissional da Rádio Moçambique (RM),  integrou o primeiro grupo de mulheres recrutadas para o projecto Mulher e Desenvolvimento da RM. Fez cobertura de pleitos eleitorais desde as primeiras eleições municipais, e segundas presidenciais no país; foi também coordenadora do programa da criança na mesma rádio. De tarimba invejável e belíssimo palmarés, a muthiyana de fibra do jornal domingo foi chefe da redacção no Emissor Provincial de Maputo e formadora na área de conteúdos da Rádio Muthiyana. Ganhou o prémio de melhor jornalista na selecção e produção de conteúdos do programa em língua local – Projecto MD – Mulher e desenvolvimento e o prémio de qualidade da Rádio Moçambique – com a produção de um programa de 50 minutos sobre a sinistralidade rodoviária no país. Fez parte de um projecto das Nações Unidas – Projecto mídia da Unesco – coordenadora da Rádio Comunitária Arco Homoíne na província de Inhambane.

Entretanto, vangloria-se por ter frequentado cursos de nível superior na faixa dos 50 anos de idade. E mais: “orgulho-me de ver as minhas 3 filhas com o nível de licenciatura concluído e todas a trabalharem, uma na Televisão de Moçambique, outra na banca e a terceira no projecto Fidus Machel.

Sonho: “Preparar a minha reforma, transmitir  aos mais novos  tudo o que aprendi ao longo da minha carreira profissional em Radiojornalismo, como docente”. Igualmente, tem desejo de conhecer Huwan, a cidade chinesa onde foi registado o primeiro caso da covid-19, “logo que a pandemia passar”.

Classifique este item
(0 votes)