ATAQUES NO CENTRO E NORTE: Sobe para 424.200 número de deslocados

Em pouco menos de duas semanas, subiu de forma exponencial o número de pessoas deslocadas devido à acção dos bandos de terroristas que actuam na província de Cabo Delgado e nas províncias do Centro do país, concretamente em Sofala e Manica.

Até há 15 dias, o país tinha cerca de 340 mil pessoas deslocadas, mas dados oficiais a que tivemos acesso apontam para mais de 424.200 pessoas e, só neste ano, houve 27 mortos e mais de mil doentes devido à cólera em Cabo Delgado.

A situação que se vive na cidade de Pemba, capital de Cabo Delgado, exige um rápido redobrar de esforços para que não entre no descontrolo porque consta que já estão em falta alimentos, ambulâncias, latrinas, pessoal e material de trabalho para o registo da população que chega, maioritariamente mulheres e crianças, e ainda meios materiais e humanos para o encaminhamento de todos aos locais de acolhimento.

Para além do drama humanitário em si, caracterizado pela chegada massiva de pessoas, as autoridades sanitárias enfrentam desde Janeiro deste ano a ocorrência de 1686 casos de cólera (registados até quinta-feira), que resultaram em 27 mortes. O esforço que está a ser feito é de conter a propagação desta doença.

É que as condições sanitárias deterioraram nos distritos de Mocímboa da Praia, Ibo, Macomia e Metuge, e mais recentemente na cidade de Pemba, que acolhe um grande número de deslocados nos últimos dias. 

Números em nosso poder mostram que Mocímboa da Praia teve, de Janeiro a esta parte, 380 casos de cólera, Ibo 300 e 14 óbitos, o distrito de Macomia 247 doentes e seis óbitos, Metuge 237 e três mortos e cidade de Pemba contabiliza 522 pacientes e quatro óbitos. As autoridades sanitárias dizem que a taxa de letalidade é de 1,6 por cento. Leia mais...

Jorge Rungo, nosso enviado à Beira

Classifique este item
(0 votes)