Uma manhã no bairro T3

O bairro T3, sito no posto administrativo de Infulene, no município da Matola, foi conhecido, há alguns anos, como área de elevada criminalidade, caracterizada por assaltos na via pública, residências, até homicídios. Este cenário chegou a criar nos moradores um sentimento de revolta a ponto de optarem por fazer justiça pelas próprias mãos quando encontrassem criminosos em flagrante delito.

Apelidado como terceira zona de transição, é um bairro com ruas largas e estrutura de casas muito bem organizadas. Aliás, na era colonial, depois da Coop, Infulene, o bairro T3 foi dos que beneficiou de construções de casas denominadas aldeias. E, até a celebração da Independência nacional, estavam em construção prédios na zona da célula "B". Há quem afirma que se chegou a pretender atribuir o nome de Fidel Castro ao bairro, mas nunca pegou.

Vale a pena referir que a fama deste bairro e da sua esquadra de Polícia, a 7.ª, está também relacionada com o facto de esta unidade das forças de Lei e Ordem responder por mais de uma dezena de áreas circunvizinhas, o que significa que quase todos os casos criminais destas zonas vão dar a T3.

domingo esteve recentemente nesta área residencial para conversar com os moradores, secretariado e com a Polícia. O objectivo principal da visita era reviver todos os cenários que em algum momento afamaram o bairro, não por boas razões.

Entretanto, uma das grandes preocupações dos moradores está relacionada com a deficiente iluminação pública. Este facto, segundo afirmaram, está a propiciar o aumento da criminalidade, sobretudo na via pública.

Sobre a iluminação pública, Zefanias Júnior Mulhovo, secretário do bairro T3, diz tratar-se de um problema antigo que há muito foi reportado às autoridades. Aponta como zonas críticas a célula “A”. Leia mais...

Texto de Luísa Jorge

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Fotos de Inacio Pereira

Classifique este item
(0 votes)
Script: