Continuidade do DDR e o comboio da esperança

Assistimos semana passada à desmobilização de duzentos e cinquenta homens que faziam parte do braço armado residual da Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique.

O acto deve lugar no distrito de Chibabava, distrito de Muxungue, e marcou a continuidade de um processo que todos nós, moçambicanos, pretendemos se mantenha saudável até a desmobilização do último guerrilheiro da Renamo.

Este grupo de antigos guerrilheiros junta-se, deste modo, aos recentemente enquadrados no processo de Desmobilização, Desarmamento e Reitengração (DDR) no posto administrativo de Savane, distrito de Dondo, também em Sofala.

A expectativa que existe em Moçambique, e também na comunidade internacional, é que a Renamo siga o caminho da paz e deixe de jogar simultaneamente no campo político e militar. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)
Script: