PACIENTES EM ESTADO DE COMA: A vida entre o céu e a terra

Uma mulher de blusa amarela, corpo farto, de feições familiares surgiu na mente de um paciente em estado de coma. As suas intenções até pareciam boas: “ela olhou para mim com ternura, não me lembro de algo que provavelmente tenha dito. Eu estava em coma. Mas esta cena ficou gravada em mim. Ao recobrar a consciência, contei à minha então namorada sobre o sucedido. Ao descrever quem me tinha aparecido, ela disse-me que se tratava da sua mãe, a falecida mãe. Fiquei perplexo com essa informação, pois eu nunca havia tido contacto com a finada. Nunca tinha visto, sequer, uma fotografia sua. Por isso, hoje em dia tenho a certeza de uma coisa: somos regidos pelo mundo espiritual”.

Esta é parte da história de Francisco Macuacua, que a 20 de Fevereiro de 2011 sofreu um gravíssimo acidente na zona da Moamba, província de Maputo. Estava a caminho de Ressano Garcia, num transporte semi- -colectivo de passageiros. Contou que, a dado momento da viagem, “o carro que nos transportava teve de se esquivar de um camião, no entanto estava a alta velocidade, o que fez com que as consequências do embate, provocado por maus cálculos, contra um outro carro que vinha em direcção contrária, fossem fortes”.

Na verdade, este não é na totalidade seu testemunho, afinal Francisco foi uma das vítimas mais graves desse acidente, de tal modo que “não me lembro exactamente do que ocorreu naquele dia”.

Algumas informações sobre o sucedido foram colhidas pelos seus familiares e repassadas a si, no hospital, quando começou a registar alguma melhoria. A família deste homem de 46 anos de idade confessou que, ao vê-lo no local do acidente, achou que “eu estivesse morto. Afirmaram (entretanto) que a minha cabeça estava muito grande”, contou Francisco. Leia mais...

 

TEXTO DE CAROL BANZE

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 11 Janeiro 2020 21:22