A realização da Plataforma Global para a Redução de Risco de Desastres (GP2019), que vai ter lugar a partir de amanhã, em Genebra, na Federação Suíça, será uma oportunidade para o Governo moçambicano agradecer à comunidade internacional pela pronta ajuda disponibilizada na sequência dos ciclones Idai e Kenneth.

O agradecimento será feito na GP2019 que é organizada pelo Escritório das Nações Unidas para a Redução de Risco de Desastres (UNSDR) e que vai reunir cerca de 5000 pessoas, entre chefes de Estado e de Governo, peritos em gestão de calamidades naturais, jornalistas, académicos, entre outros para a discussão dos progressos regionais e continentais voltados para minimizar os danos provocados por eventos desta natureza.

Segundo o vice-ministro da Administração Estatal e Função Pública, Albano Macie, que vai encabeçar a delegação moçambicana, a prontidão do mundo, inclusive, países que não possuem representações diplomáticas em Maputo, permitiu localizar e resgatar milhares de pessoas e ainda assegurar a sua assistência em víveres e abrigo.

Macie recordou que, a par da ajuda internacional, o Governo reconhece e também se mostra agradecido pelo intenso movimento de solidariedade de moçambicanos para moçambicanos que prossegue até agora e que permite que as famílias afectadas retornem à sua vida normal.

Ainda no decurso da GP2019, o Governo moçambicano diz que vai aproveitar a oportunidade para atrair a atenção do mundo para a realização da Conferência Internacional de Doadores que terá lugar na cidade da Beira no final deste mês com o objectivo de angariar apoios para a reconstrução pós-ciclones Idai e Kenneth.

Vamos igualmente manifestar o nosso cometimento para o alcance das metas do Quadro de Sendai para a Redução de Risco de Desastres que orientam os países a implementarem políticas conducentes à redução da mortalidade em resultado de calamidades naturais, perdas económicas, entre outros”, disse.

Ainda no decurso da Plataforma Global, Moçambique deverá dar a conhecer os progressos na implementação do referido Quadro de Sendai, entre os quais se destaca a aprovação do Plano-Director para a Redução do Risco de Desastres 2017-2030.

Conforme aludiu, este instrumento de governação está alinhado com a Lei de Gestão de Calamidades aprovada em 2014 e que contém o regime jurídico da gestão de calamidades, do qual resultam as elaborações e implementações dos Planos Anuais de Contingência.

Falaremos sobre as limitações que observámos na implementação de alguns aspectos contidos neste quadro, sobretudo em relação às metodologias para a compilação de dados, abordaremos as restrições em termos de capacidade técnica, meios humanos e financeiros, aspectos de monitoria, mecanismos de actuação e as alternativas que criámos para superar estas adversidades”, aludiu.

A delegação oficial moçambicana participará em mesas redondas ministeriais e sessões de diálogo de alto nível para discutir as perspectivas globais e regionais de redução de risco de desastres e essas sessões deverão ser usadas para divulgar os avanços estratégicos que o país está a alcançar para essa finalidade, incluindo a criação recente do Gabinete de Reconstrução pós-ciclones Idai e Kenneth.

Texto de Jorge Rungo
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 252 visitante(s) ligado(s) ao Jornal