A vida é feita de escolhas e cada escolha é uma renúncia. Mas há renúncias temporárias. Aquelas que se fazem por uns instantes.

Algumas ocorrem em momentos de actuação, quando o ser humano se despe da sua natureza e encarna personagens.

"Luísa", interpretada por Cecília Zucula, o rosto do jornal domingo, serve-nos de exemplo. Criada em publicidade com o intuito de massificar a adesão a um determinado serviço por via de telefonia móvel, foi-nos apresentada como uma mulher de ideias difusas, avessa ao mundo das Tecnologias de Informação e Comunicação.

O corolário dessa representação teve o seu impacto ao nível social, mas também, essa “publicidade revelou oladoque não conhecia em mim”, confessa Cecília. A imagem de uma famosa ‘comerciante de bolinhos’, que se movimenta calçada de “sabrinas” e coberta de um simples vestido, assumida por si, mostrou o lado interessante da arte de criar. Criou ilusões, pois de luz e câmaras apagadas e cena cortada aparece-nos outra mulher, de 31 anos de idade, uma estudante trabalhadora, que, contraditoriamente, entende tudo ou quase tudo de tecnologias. Frequenta o curso de contabilidade na Universidade Eduardo Mondlane e trabalha como assistente de loja, “um trabalho semelhante a de agente de venda”, esclarece.

Yhu! Pois é.... Seria desse modo que reagiria a sua personagem após serem desvelados os caracteres que realmente compõem a sua existência. Fisicamente, falamos de uma mulher de formas generosas, que se revelou aos olhos do domingo de calças jeans elásticas, blusa leve de tons suaves e um salto de tamanho estonteante. Exalava uma fragrância suave, hipnotizadora. Quem diria... nem de longe lembrava a simples Luísa - que, diga-se de passagem, bem representa a digna mulher moçambicana: uma senhora madura, perto dos 40, de sorriso maroto, passos titubeantes, desconfiada em relação ao futuro; uma pessoa envolta num diálogo afoito, agarrada aos seus princípios.Foram estas características bem estudadas e representadas por Cecília que embalaram o público, levando-o a identificar-se com o personagem.

Por estas e outras, Cecília Zucula aproveita o ensejo para tecer rasgos elogios à mulher moçambicana: “é batalhadora. Eu respeito, sobretudo, aquela mulher que pratica o comércio, diariamente, na rua, debaixo do sol, para sustentar a sua família”.

Aliás, é esse espírito que a move para cuidar dos seus, afinal ela é mãe de 2 filhos, um de 10 e outro de 12 anos de idade. Divorciada, encontra no actual dono do seu coração alento para levar a sua vida a contento. É que o seu casamento foi violento, o que acabou ditando a separação. “Houve agressão física, mas nunca denunciei esses episódios de violência”. Hoje em dia, já pensa de modo diferente. “Sou a favor da participação dos casos de violência e, inclusive, tenho aconselhado às pessoas nesse sentido”. 

Leia mais...

Texto de CAROL BANZE
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,11 62,29
ZAR 4,16 4,24
EUR 67,19 68,49

12.09.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 369 visitante(s) ligado(s) ao Jornal

+ lidas