Os moçambicanos, uma vez mais, estão a provar por A+B que solidariedade não é letra morta quando o assunto é ajudar quem mais necessita. Parte desse gesto pode ser vista na cidade de Pemba, província de Cabo Delgado, onde desde a semana passada chegam deslocados fugidos das acções terroristas em Palma.

Esta atitude não surpreende uma vez que nós, moçambicanos, preocupamo- -nos, sempre, com o bem-estar dos nossos irmãos, nem que para tal tenhamos de dividir o nosso pão, a água, a comida, o tecto, a manta e a bolacha.

Este sentimento de solidariedade ganha relevância neste período da Páscoa, isto para os professantes da religião cristã, pois os ensinamentos, as mensagens que estão a ser passadas pelos líderes das diferentes confissões religiosos têm acento tónico no amor ao próximo.

Ter a vida retalhada ou destroçada é, inequivocamente, retrocesso, porque a perspectiva do indivíduo é prosperar, ainda que seja passo a passo, porque o foco é sempre o futuro que se acredita risonho ou menos sofrido. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)