Retoma das aulas presenciais visa proteger os próprios alunos

- Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, na Assembleia da República

Ainterrupção das aulas presenciais por períodos prolongados pode resultar no aumento do risco de abandono definitivo da escola, gravidez prematura, exposição dos adolescentes e jovens ao consumo de drogas e trabalho infantil, explicou o Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário.

Segundo o plano do sector da Educação, a reabertura oficial das aulas está marcada para 19 de Março de 2021, sendo que as crianças voltam à escola a 22, observando as medidas de gestão da pandemia.

O governante falava na Sessão de Informações do Governo à Assembleia da República, cuja sessão foi dominada pela gestão da covid-19.

Na sua interacção com os deputados explicou que para a reabertura das aulas presenciais teve-se em conta a necessidade de observância das medidas de prevenção da pandemia com vista a salvaguardar a saúde da comunidade escolar.

Exortou aos pais e encarregados de educação, alunos, professores, operadores de transportes semicolectivos de passageiros a manterem a observância rigorosa das medidas gerais de prevenção e combate à covid-19.  Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)