Print this page

Moçambique desafiado a registar mais produtos

Fevereiro 07, 2021 2320
José Meque, director-geral do IPI José Meque, director-geral do IPI

Depois do registo do Cabrito de Tete como a primeira Indicação Geográfica (IG) protegida em Moçambique, o Instituto de Propriedade Industrial (IPI) vai estender a distinção para outros produtos nacionais, nativos, sendo que para isso, terá de cumprir algumas lições.

Com efeito, haverá que proteger os produtos, garantindo a manutenção das características originais, que determinam a sua qualidade, de forma a dinamizar o comércio, para além de capacitar os produtores e agentes económicos para furar o mercado internacional.

Entretanto, segundo a chefe da equipa de Infra-estruturas, Investimentos e Sector Privado, da delegação moçambicana da União Europeia (UE), Veerle Smet, Moçambique é um exemplo de sucesso no âmbito do registo de IG em África, depois da experiência obtida com o registo do Cabrito de Tete. Por isso, os países da UE já estão interessados no alargamento da escala de produtos para a importação.

Eduardo Changule

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)