PR mantém trégua militar no Centro

O Presidente da República e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança (FDS) afirmou que mantém a trégua militar para dar oportunidade do diálogo com a auto -proclamada junta militar da Renamo, apesar de esta ter protagonizado um ataque no distrito de Chibabava, província de Sofala, na última segunda-feira, dia seguinte da instrução de as FDS não perseguir os homens de Mariano Nyongo por um período de uma semana a contar do domingo.  

Filipe Nyusi que falava esta manhã em Maputo na abertura da XI Reunião Nacional das Autarquias Locais reiterou a sua disponibilidade para o diálogo ao mesmo tempo que apelou para que o partido Renamo não se distancie do processo, porque os argumentos colocados lhe dizem respeito por causa de não concordância.

O elemento chave nesse processo também é a Renamo. Não fica muito bem entrarmos numa casa do vizinho sem que ele próprio participe. Havendo problemas podemos estar e separar, etc, mas o vizinho tem que estar. É o esforço que estamos a fazer para evitar precedentes, destacou o Presidente da República reiterando a sua determinação na busca de soluções nos domínios de defesa e segurança no sentido da sólida execução do Programa Quinquenal do Governo 2020/2024.

Sobre a reunião nacional dos municípios o Chefe do Estado desafiou aos dirigentes dos conselhos autárquicos a enveredar pela inclusão de modo a garantir o desenvolvimento das áreas sob sua jurisdição, bem como satisfazer as necessidades dos munícipes.

A XI Reunião Nacional das Autarquias Locais termina amanhã e decorre sob o lema “Pelo Desenvolvimento Autárquico Participativo, Integrado e Inclusivo”, e visa reflectir sobre os principais desafios de desenvolvimento que impactam a gestão municipal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Classifique este item
(0 votes)