Sensibilizar os jovens para não aderirem ao terrorismo

– afirma Olívia Matavele, presidente do Gabinete da Juventude Parlamentar

Há que intensificar a divulgação das mensagens de sensibilização dos jovens para não abraçarem causas inconfessáveis, sobretudo, acções terroristas em alguns distritos da província de Cabo Delgado. A ideia é avançada pela presidente do Gabinete da Juventude Parlamentar (GJP), Olívia Matavele, que trabalhou há dias no Norte do país, onde manteve encontros com a juventude.

No balanço do trabalho efectuado na região Norte, Olívia Matavele diz ter constado que, apesar da instabilidade que se vive, os jovens mostram-se comprometidos em abraçar acções conducentes à sua ocupação, “pedindo deste modo que se aposte nos cursos profissionalizantes para a geração de auto-emprego”.

Segundo explicou, tal foi manifestado nos encontros havidos nas províncias de Nampula, Niassa e Cabo Delgado, onde os jovens consideram ser fundamental a busca de mecanismos de os ocupar integralmente para não serem aliciados pelos terroristas.

A chefe do GJP acredita que com a massificação de mensagens de sensibilização bem como a ocupação através de actividades de geração de renda, “poucos serão os jovens que se vão filiar a grupos terroristas, como tem estado a acontecer com alguns deles em Cabo Delgado”.

Sublinhou que mais do que recusar aliciamentos, os jovens serão os primeiros a denunciar quaisquer movimentos estranhos nas suas povoações, desde que lhes seja garantida a ocupação em actividades produtivas e em segurança. 

Entretanto, segundo a fonte, a divulgação das mensagens será efectiva se houver encontros permanentes com os jovens. “Nós fizemos as visitas para também aferir o grau da implementação da Política Nacional da Juventude, um dos instrumentos que visa dar provimento às preocupações dos jovens”.

Classifique este item
(0 votes)