TERRORISMO EM CABO DELGADO: Melhores dias virão

- Chefe de Estado, Filipe Nyusi, na visita ao centro que acolhe deslocados

Há boas perspectivas de se devolver a normalidade à província de Cabo Delgado, mas a missão ainda exige algum tempo e sacrifício. O Presidente da República afirma que estão em curso trabalhos diários e nocturnos visando esse fim e, por estar bastante convicto, recomendou às autoridades locais a iniciarem o levantamento das perdas materiais até aqui havidas para se iniciar o recrutamento de mão-de- -obra local para a reconstrução.

Na visita que o Presidente da República efectuou, sexta-feira, a Manono, conversou com alguns deslocados, mas o momento mais sintomático foi quando abordou um jovem que disse chamar-se Mussa. Este foi o único refugiado a quem o Chefe de Estado perguntou o nome, como que a confirmar algo que já sabia sobre ele.

Naquela breve conversa, o Presidente perguntou: “Porque é que enquanto os terroristas atacavam a tua aldeia chamaram por ti?”. Mussa gelou instantaneamente. Foi necessária a intervenção do tradutor para lhe trazer à realidade. “Acho que eles fazem isso para atrair as pessoas”, respondeu.

É claro que o Presidente da República não se contentou com essa resposta rasca e, por isso, insistiu:“Como é que eles sabiam que tinha um Mussa na tua aldeia?”. O jovem engoliu em seco. Faltaram-lhe palavras e, com ar de reprovação, o Presidente abandonou aquele local. Leia mais...

Texto de Jorge Rungo, nosso enviado à Beira

Classifique este item
(0 votes)
Script: