Presidente da República exige honestidade no DDR

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, considera ser esperança de todos os moçambicanos que o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração Social dos homens armados da Renamo (DDR), retomado a 5 de Junho corrente, em Savane, Dondo, província de Sofala, ocorra num ambiente de muita honestidade, confiança, seriedade e serenidade.

Filipe Nyusi fez este pronunciamento esta manhã na Praça dos Heróis, em Maputo, no seu discurso por ocasião dos 45 anos da independência nacional que assinala-se sob o lema: 45 anos Unidos Construímos Moçambique de Paz e Desenvolvimento.  

O Chefe do Estado apela a população a acolher condignamente os homens armados da Renamo que regressam às suas comunidades e suas famílias.

Apela igualmente a população a continuar a colaborar com as autoridades, denunciando os terroristas e homens armados que aterrorizam o norte da província de Cabo Delgado e o centro do país, concretamente, nas províncias de Sofala e Manica.

Defende que, tal como no passado, os moçambicanos jamais permitirão que o seu país, produto do sacrifício e sangue derramado, seja usado para a satisfação de interesses obscuros e alheios.

Hoje, como ontem, sejamos vigilantes contra as novas tentativas de intimidar o povo, usando o terror gratuito e o ataque à nossa unidade como um povo, sublinha o Presidente da República.

Destacou ainda que o seu compromisso inabalável com o diálogo, paz e reconciliação nacional e aprofundamento da democracia, decorre da convicção cimentada nas aspirações dos moçambicanos pelo desenvolvimento e bem-estar, bem assim de que só com este desiderato o país pode trilhar os caminhos do progresso.

O Presidente da República galardoou hoje alguns cidadãos que se destacaram ao longo destes 45 anos da independência nacional nas diferentes áreas do desenvolvimento.

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Quinta, 25 Junho 2020 12:24