O Presidente da República, Filipe Nyusi, acaba de fazer uma declaração à Nação condenando os actos de xenofobia que se registam na África do Sul desde 1 de Setembro e que, só em Joanesburgo, afectaram 500 moçambicanos, a 5 do corrente mês.

Esta foi a primeira vez que o Governo, ao mais alto nível, pronunciou-se sobre a violência que está a ser perpetrada por certos cidadãos sul-africanos contra estrangeiros que vivem na África do Sul, incluindo moçambicanos.

Falando a partir da vila-sede do distrito de Alto Molócuè, na província da Zambézia, o Chefe do Estado disse terem sido accionados o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades, o Alto Comissariado moçambicano na África do Sul e o Serviço Nacional de Migração no sentido de agilizar o requerimento dos moçambicanos que, voluntariamente, pretendam regressar ao país.

É neste contexto que, conforme explicou, será instalado um centro de acomodação transitório na zona fronteiriça de Ressano Garcia, distrito da Moamba, província de Maputo, para acolher os repatriados enquanto aguardam pelo encaminhamento às zonas de origem.
Na mesma ocasião, exortou aos moçambicanos a manterem a calma e não retaliar as atitudes agressivas que têm vindo a ser protagonizados por alguns sul-africanos.

Somos um povo com valores próprios, sentido de solidariedade reconhecido internacionalmente. Foi com muita tristeza que o Governo acompanhou os actos de violência que se registam naquele país vizinho e que não afectam apenas os moçambicanos mas outros cidadãos do continente africano”,  afirmou o Chefe do Estado.

Filipe Nyusi recordou que o Presidente sul-africano já condenou veemente os actos xenófobos.

Texto de Domingos Nhaúle, em Alto Molócuè

Foto de Inácio Pereira


Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,11 62,29
ZAR 4,16 4,24
EUR 67,19 68,49

12.09.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 331 visitante(s) ligado(s) ao Jornal