O líder da Renamo, Ossufo Momade considera que o acordo, assinado no final da tarde de hoje em Maputo, representa a abertura de uma nova era de esperança entre os moçambicanos, “desde que haja confiança entre os signatários por um lado e os moçambicanos, por outro”.

Segundo defendeu, com o acordo de cessar-fogo sela-se o compromisso do Governo e da Renamo de manterem a paz e a reconciliação nacional, “por isso, todos nós somos chamados a praticar actos para a manutenção da paz entre os moçambicanos. O cessar-fogo que agora inicia em Moçambique traz nova esperança e confiança à nossa sociedade desde que a boa-fé continue a imperar entre as partes”. 

Momade observou ainda que o acordo deve significar ainda a eliminação das barreiras ao exercício da cidadania moçambicana, “permitindo que a sociedade civil possa se assumir como um dos actores de fortificação da democracia e do Estado do direito democrático, bem como lanterna da transparência e respeito do bem comum, não podendo ser motivo de perseguição ou outro motivo de represália”.

O dirigente da Renamo observou igualmente que desde 1992, com a assinatura do Acordo Geral de Paz que que Moçambique desfruta do Estado do direito democrático, “daí que o compromisso de despartidarização do Estado e fortificação das instituições deve ser permanente de modo a manter um o país uno e indivisível”.

Acrescentou que “quer a Renamo, quer o Governo obrigam-se a cumprir escrupulosamente o acordo, de modo a garantir definitivamente a paz e reconciliação nacional e o Estado do direito democrático.

     

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,72 62,95
ZAR 4,18 4,26
EUR 68,69 70,06

18.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 284 visitante(s) ligado(s) ao Jornal