“Mulheres de Jerusalém, eu sou morena porém sou bela. Sou morena escura como as barracas do deserto (…) Não fiquem olhando-me assim por causa da minha cor, pois foi o sol que me queimou”. Cântico dos Cânticos 1:5-6

Hoje trago uma questão da “falsa beleza” da mulher africana negra. Ciente da delicadeza do tema, porque sei que irá ferir muitas sensibilidades femininas e não só, porém, cada um de nós, tem a sua forma de desabafar para deixar o coração aliviado. Porque quando podemos dizer o que pensamos, o que sentimos e o que queremos, é a melhor forma de sermos nós mesmos. Independentemente  do que outras pessoas podem julgar de nós. Esta abertura de dizer aquilo que sentimos, agudizou-se quando tomamos conhecimento da entrada de 85 pacientes no Hospital Provincial do Maputo devido a intoxicação por inalação de substâncias tóxicas na Fábrica de cabelos artificiais para mulheres negras de nome “DARLING”, localizada na cidade da Matola. Ora, o livro que une Judeus e Cristãos, a “Bíblia Sagrada”, e não só, afirma que tudo o que existe na natureza, (entenda-se no Universo), foi feito por um só Arquitecto. E, Ele, o Arquitecto do Universo, durante a faina da criação, de acordo com o referido Livro, parou seis vezes para verificar a sua obra e em cada etapa exclamava, conforme afirma Moisés, o Escritor do Génesis: “viu que tudo o que havia feito era bom”. Pode-se ler isso em Génesis Capitulo 1, versículos 4,10,12,18, 21 e 25. E, no Versículo 31, após concluir a sua última criação, que foi a “fabricação” da  Mulher, segundo o autor do Génesis, Moisés, atribuiu-Se a Si próprio a nota máxima: “E viu que tudo quanto tinha feito, eis que era MUITO BOM!”. Portanto, “todas as coisas foram feitas por Ele, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez”, conforme remata o Evangelista João Capitulo 1, Versículo 1.   Leia mais...

Por Kandiyane Wa Matuva Kandiya

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.