ONJ (Organização Nacional dos Jornalistas) é como se designava o nosso actual Sindicato Nacional dos Jornalistas (SNJ). As transformações em curso no país já clamavam por uma reestruturação que passasse por tornar a organização, que foi das primeiras a entender o alcance da Constituição de Novembro de 1990, a de multipartidarismo, em sindicato.

Curiosamente, apesar de representar a classe que primeiro entendeu a direcção dos ventos de mudanças, razão por que a Lei de Imprensa é a 18/91, de 10 de Agosto, quer dizer menos de um ano depois de aprovada a nova Constituição, mantinha-se ainda como organização, filha legítima do monopartidarismo.

Era preciso dar a volta e caminhar para a luta que é intrínseca aos sindicatos, tanto é que já despontavam no nosso seio patrões de nós mesmos. Eis por que a conferência de Novembro de 1996 terá sido a mais participada de sempre e de divergências indisfarçáveis. A começar pela forma como se devia ir à grande reunião.

Pela primeira vez decidiu-se que os delegados à conferência iriam pelos meios próprios e votariam aqueles que tivessem contas em dia, sinal de comprometimento com a classe.

A região Norte, de que eu fazia parte, vivendo em Nampula, tinha um trajecto terrestre definido. Os delegados de Cabo Delgado juntar-se-iam a Nampula, para, no dia seguinte, apanharem o comboio para o Niassa, onde todos seriam esperados pelos colegas desta província, na cidade de Cuamba.

Por Pedro Nacuo
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 281 visitante(s) ligado(s) ao Jornal