O Presidente da República, Filipe Nyusi, esclareceu, hoje, em Nhamatanda, província de Sofala, que o único objectivo da participação de forças estrangeiras no combate ao terrorismo em Cabo Delgado é a paz.

No âmbito das visitas que o Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança (FDS) está a efectuar às diversas unidades militares e paramilitares, escalou hoje a Escola de Sargentos da Polícia Tenente General Oswaldo Assahel Tazama, em Metuchira, Nhamatanda, onde explicou a essência da ajuda que Moçambique está a receber para combater o terrorismo.

Na ocasião, Filipe Nyusi elucidou que o terrorismo é um problema global, razão pela qual os países do mundo se unem para o seu combate.

“Devem ter acompanhado ao longo da semana que a situação do combate ao terrorismo evoluiu com o envolvimento de forças estrangeiras. Vamos receber forças da SADC que vão dar aquilo que podem, mas também estão aqui os nossos amigos do Ruanda”, explicou o Chefe do Estado.

Uma vez que tem havido questionamento sobre porque só agora é que Moçambique está a receber o apoio de forças estrangeiras, Filipe Nyusi esclareceu que o país tinha de se organizar para receber tal ajuda. De igual modo, os países que estão a auxiliar Moçambique tinham de se preparar para viajar porque “vêm aqui para entrar em combate”.

O Chefe do Estado avançou que pode haver quem pergunte será que Moçambique não pode (sozinho combater o terrorismo?).

“Em relação ao Centro não houve esta preocupação dos vizinhos porque (os ataques) têm outro formato. Quando se trata de terrorismo é todo o mundo. Os países que nos ajudam têm interesses pela paz . Quando há problemas aqui, há também para os países vizinhos”. disse.