EDITORIAL: Ajuda militar a Cabo Delgado

Os moçambicanos e o mundo inteiro elevaram, nos últimos dias, o seu nível de atenção a Cabo Delgado, com a chegada dos primeiros contingentes militares estrangeiros para lado a lado com as Forças de Defesa e Segurança de Moçambique combaterem o terrorismo, um fenómeno bizarro que, além de assassinatos bárbaros da população, está a causar um atraso económico no país, através do adiamento de projectos de investimento.

Com efeito, encontram-se desde 9 de Julho de 2021, em Cabo Delgado, as forças militares da República do Ruanda, uma ajuda que chega a Moçambique no âmbito das relações de cooperação existentes entre os dois países.

Enquanto isso, aguarda-se a chegada, assim que for possível, da força de alerta da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), a qual foi accionada durante a última Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da organização, realizada em Maputo a 23 de Junho. Aliás, foi esta reunião que aceitou que Moçambique, paralelamente ao esforço da região, pudesse recorrer a acordos bilaterais para reforçar o combate a este fenómeno.

Ainda que os relatos sobre grandes ataques às povoações de Cabo Delgado pelos terroristas tenham diminuído significativamente nos últimos meses devido à entrega abnegada das FDS à causa da defesa do país, reina uma grande expectativa em relação à contribuição das forças estrangeiras no terreno para devolver, em definitivo, a calma às áreas afectadas. Leia mais... 

Foto de Carlos Uqueio

Classifique este item
(0 votes)