TERRORISMO, COVID-19 E CICLONE “KENNETH”: Mais de 400 empresas destruídas em Cabo Delgado

“E stamos de rastos, tristes e preocupados com o nosso futuro porque estamos a ser assolados por vários fenómenos em simultâneo. O terrorismo, a pandemia do novo coronavírus e a prevalência dos danos provocados pela passagem do ciclone Kenneth”, disse o presidente do Conselho Empresarial Provincial (CEP) de Cabo Delgado, Mamudo Irache, à nossa Reportagem.

No total, 410 empresas de diferentes ramos de actividade foram destruídas, saqueadas e incendiadas pelos terroristas ao longo dos últimos três anos, ao que se acresceram os danos provados pela passagem do ciclone Kenneth e as restrições impostas para a contenção da pandenia da covid-19 que culminaram com o encerramento e falência de vários negócios.

Entre os sectores afectados, Irache destaca a destruição de 60 embarcações pesqueiras de pequena escala e artesanais, sendo que 54 foram totalmente destruídas e as restantes parcialmente, afectando vários grupos de operadores deste ramo que se viram desprovidos das suas fontes de subsistência.

Enumera ainda que houve destruição e encerramento de 65 empreendimentos turísticos sobretudo nos distritos de Quissanga, Macomia, ilha de Ibo, Palma e parte de Pemba Metuge, facto que conduziu milhares de jovens ao desemprego. Leia mais... 

Texto de Jorge Rungo

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)