INQUÉRITO: Desafios do trabalhador em tempos de covid-19

Sem as habituais marchas, nem a azáfama típica do dia, comemorou-se ontem o dia do trabalhador num contexto em que se assiste no mundo a transformações no sector laboral causadas pela pandemia da covid-19, caracterizado por várias mudanças dentre as quais a suspensão de contratos, redução de pessoal, trabalho em regime de rotatividade, entre outras. Nesta senda, domingo saiu à rua para saber dos munícipes como é que avaliam a situação do trabalhador em tempos de covid-19.

ENFRENTAMOS INÚMERAS DIFICULDADES

– Jorge Macuacua, comerciante

No meu entender estamos a enfrentar inúmeras dificuldades, que colocam o trabalhador numa situação de vulnerabilidade, desde os meios que usa para ir ao seu posto de trabalho, o que faz com que por mais que saia cedo, atrase ao serviço. Na maioria das vezes o empregador não entende e desconta no salário do trabalhador.

Outra situação tem a ver com a redução do poder de compra do cidadão. As pessoas estão a passar por dificuldades financeiras, por isso não compram como antigamente, o que faz com que não consigamos ter um rendimento capaz de suprir as nossas necessidades.

ABRIMOS MÃO DE REGALIAS

– Dulce Cossa, administrativa financeira

É complicado falar da situação dos trabalhadores nesta época de pandemia. A nossa rotina mudou completamente, o número de clientes reduziu, o que influenciou de forma negativa nas vendas e, consequentemente, nos lucros. Com isso, tivemos de abrir mão de certas regalias e subsídios.

Pelo segundo ano consecutivo não teremos confraternização por ocasião do dia do trabalhador, no início foi por causa das restrições mas agora alia-se a isso a falta de condições financeiras. Felizmente na minha empresa não houve redução do pessoal mas já não há contratações. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)