NO BAIRRO GUAVA, PROVÍNCIA DE MAPUTO: 135 famílias consumiam energia clandestinamente

 

A Electricidade de Moçambique (EDM) desencadeou, nos últimos dois dias, no Bairro de Guava, distrito de Marracuene, na Província de Maputo, uma operação de inspecção rotineira que culminou com o desmantelamento de uma rede de ligação clandestina da corrente eléctrica da rede nacional.

A operação dos técnicos da EDM visou 500 casas do Quarteirão dois e detectou irregularidades que obrigaram a remoção dos cabos de distribuição de energia eléctrica e contadores em 135 casas.

“Dessas 135 casas, 90 não tinham contratos nem contadores. Do remanescente, alguns tinham contratos e contadores, mas foram transferidos duma zona para esta porque aqui é uma zona interdita para novas ligações, aqui não tem uma rede que reúna condições de fornecimento de energia eléctrica. Existiam aqui situações de termos cabos que estavam abaixo de dois metros de altura, o que perigava a vida das pessoas que aqui vivem e até dos próprios consumidores, por isso tivemos de remover”, explicou Hermengildo Macie, engenheiro da EDM afecto à área de inspeção.

Sobre os clientes que, mesmo com contratos, foi-lhes cortado o fornecimento da energia elétrica, Macie esclareceu que são contratos que não foram celebrados para aquela zona e os clientes consumiam a energia elétrica através de uma rede clandestina e precária.

Os consumidores ilegais, chegaram mesmo a puxar a corrente eléctrica através de postes que são desconhecidos pela EDM e sem obedecer nenhum requisito de segurança. O esquema de roubo de energia, inclui uma solidariedade entre os moradores que permitia ligações feitas de uma casa para outra, tudo de forma ilegal.

A Electricidade de Moçambique diz ter perdido cerca de 2. 824.452 MT (dois milhões, oitocentos e vinte quatro mil, quatrocentos e cinquenta e dois de meticais) com o esquema de roubo de energia eléctrica ora desmantelado.

Classifique este item
(0 votes)