Peritos bancários explicam movimento do dinheiro da Embraer

Pelo menos dois peritos ligados ao sistema bancário nacional deverão explicar em tribunal, na próxima quinta-feira, o movimento do dinheiro proveniente da fabricante brasileira Embraer, alegadamente resultante do pagamento de subornos na aquisição de aviões para o reforço da frota das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), entre 2008 e 2009.

Depois de ter ouvido quase todas as testemunhas arroladas no âmbito do julgamento do “caso Embraer”, com o processo-crime n.º 52/GCCC/2016-IP, cabe agora aos dois peritos bancários, designadamente do Banco Comercial e de Investimentos (BCI) e do Banco de Moçambique, poderem trazer explicações detalhadas em torno das movimentações da verba paga pela fabricante de aviões a partir de uma conta sediada em São Tomé e Príncipe.

De referir que a acusação do Ministério Público aponta que, uma vez feita a transferência do montante em causa neste intrincado processo, avaliada em 800 mil dólares, terão iniciado movimentações para a partilha dos proveitos através de ordens de pagamento para diversas contas bancárias.

As explicações podem centrar-se em torno da importação de capitais a partir das “Ilhas Maravilhosas” para o circuito bancário nacional e dos movimentos efectuados para as diversas contas de estabelecimentos financeiros tituladas pelos alegados beneficiários. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)