INQUÉRITO: Cidadãos falam da vacinação contra covid-19

Inicia amanhã a vacinação dos profissionais de saúde na linha da frente na luta contra a covid-19, com a chegada na semana finda do primeiro lote de vacinas doadas pela China. Trata-se da VeroCell (SARS-Cov-2 vaccine) produzida pela farmacêutica chinesa Sinopharm, uma das vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde que tem eficácia de 79,3 por cento contra a doença sintomática e 100 por cento contra doença moderada grave. Neste âmbito, domingo saiu à rua para ouvir dos leitores o que pensam sobre este processo.

 Imunizar grupos de risco

 - Sivele Máquina, funcionária pública

 Apesar de não ter ouvido falar sobre a eficácia desta vacina, acredito que os profissionais de saúde, que estão em contacto com as pessoas que padecem da covid-19, são o grupo prioritário, contudo, devia se expandir numa primeira fase também para os idosos e doentes crónicos.

Acho que se não imunizamos as pessoas de maior risco teremos mais casos e os médicos estarão sempre expostos. Então para que o processo de vacinação surta o efeito desejado, que é reduzir os casos, é preciso priorizar as pessoas mais vulneráveis.

 Todos precisamos de saúde

 - Abú Ómega, comerciante

 A chegada dessa vacina vai aliviar a pressão sobre o nosso sistema de saúde. Soube que a vacina vem da China e as doses que temos são apenas para os profissionais de saúde. Concordo em parte que esta classe seja prioritária, mas todos nós precisamos de saúde.

Espero que seja feito esforço por quem de direito no sentido de o mais breve possível termos mais vacinas para abranger a mais pessoas e desta forma sairmos da crise causada pela doença. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)