Raptores de Manishi Cantilal condenados a 20 anos de prisão

A7.ª Secção Criminal do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo condenou, sexta-feira, a 20 anos de prisão a dois dos acusados de rapto do empresário Manishi Cantilal, ocorrido na capital do país em princípios do ano passado.

Trata-se de Adolfo Novela e Ana Priscila Francisco que vinham sendo julgados no âmbito do processo n.° 51/2020, acusados e pronunciados de co-autoria material na forma consumada dos crimes de rapto, associação para delinquir e posse de armas proibidas.

Entretanto, os outros co-réus encontram-se foragidos, razão pela qual foram julgados e condenados à revelia.

Aos familiares da vítima, os co-réus haviam estabelecido como preço de resgate a quantia de 20 milhões de dólares norte-americanos, numa primeira fase, montante que mais tarde viriam a baixar para um milhão. Entretanto, o valor não chegou a ser pago até o empresário ser libertado pela Polícia da República de Moçambique (PRM), em Maio do ano passado.

O tribunal considerou provado que, em 2019, em conluio com os réus que se encontram foragidos, os condenados acordaram, na África do Sul, manter em cativeiro o empresário nacional com o objectivo de obter dinheiro em troca da sua libertação. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)