A cara da Escola de Jornalismo

Um homem alto, sisudo, que não dá tanta confiança ao seu semelhante , mas é, contraditoriamente, traído pelo riso espontâneo.

Quem estudou na Escola de Jornalismo, localizada na cidade de Maputo, sabe disparadamente que falamos do Sr. Chihoze que, durante 28 anos, deu tudo de si, colocando as pedras no lugar: controlando as movimentações de alunos e professores; provendo as salas de aula de material necessário para o trabalho; dando os gritos necessários para repor a ordem.

Comprometido com a sua função, “nos meus 28 anos, nunca me atrasei. Eu era o único que chegava cedo, entre as 6 horas e 6 e 15 minutos. A segunda é a dona Vina (outra funcionária da escola)”.

CAROL BANZE
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 30 Janeiro 2021 21:18