União foi palavra-chave na festa do Dia da Família

O dia nasceu tímido, a julgar pelo estado do tempo. Chuviscos matinais ameaçavam as expectativas da celebração do Dia da Família ou Natal, como é considerado pela comunidade cristã, em comemoração ao nascimento de Jesus Cristo.

Na matina, as ruas estavam quase vazias, não obstante a permanência de alguns grupos que, aparentemente, resistiram à saga vespertina e mantiveram-se consumindo bebidas alcoólicas junto aos portões de suas residências. 

Alguns bairros circulares do grande Maputo aguardaram a data com enfeites agarrados aos postes de energia eléctrica que atravessam as ruas com objectos coloridos, como forma de ornamentação para o grande dia.

A calmaria arrastou-se com maior notoriedade para o centro da cidade, onde o movimento das viaturas nas avenidas era muito fraco, parecia até que a cidade estivesse, de alguma forma, abandonada. Leia mais...

 

Classifique este item
(0 votes)