INQUÉRITO: Cidadãos avaliam o ano de 2020

Estamos a poucos dias do fim do ano. Considerado por muitos como um ano atípico, 2020 foi marcado pela covid-19 que abalou o país e o mundo. A pandemia em pouco tempo obrigou a profundas transformações na vida pessoal, profissional e social dos moçambicanos, por isso é apontada como o maior desafio de 2020. Neste contexto, leitores do domingo fazem a avaliação do ano que está prestes a findar.

Ano de aprendizagem  

– Mahomed Bonnou, funcionário público

Analisando de forma geral o ano correu bem. Precisamos de ter  capacidade de nos adaptarmos a qualquer situação e saber viver com os problemas. Com a covid-19 aprendemos a valorizar o próximo e melhoramos alguns aspectos de higiene.

Há males que vêm por bem. Com a eclosão do novo coronavírus no país e a adopção de medidas de prevenção como o distanciamento social, aproveitei para me formar, consegui fazer mais de 15 cursos de curta duração.

Alcancei algumas metas

– Jotílio Gabriel, empreendedor

Apesar das dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus, 2020 foi, para mim, um ano abençoado. Consegui alcançar algumas metas no âmbito pessoal, hoje tenho uma empresa de prestação de serviços de limpeza.

Infelizmente, os ataques armados no Centro e Norte e a pandemia do novo coronavírus contribuíram para a queda inesperada da economia, o que colocou o país em grandes dificuldades, mas acredito que o próximo ano será melhor.

Desafiador para o país

– Neto Mateffane, estudante

Pode se dizer que a nível nacional foi um ano complicado. Os ataques em Cabo Delgado já datam de 2017, mas acredito que este ano foram mais intensos. Os constantes relatos de deslocados nos meios de comunicação deram-nos a real dimensão desses conflitos.

A nível pessoal o ano correu sem sobressaltos. Consegui terminar o meu curso e espero que próximo ano consiga um emprego.

Classifique este item
(0 votes)