CASO MATALANE: instrutores da Polícia expulsos por assédio sexual

Foram expulsos da Polícia da República de Moçambique (PRM) os dois instrutores que se envolveram sexualmente com 15 instruendas, engravidando-nas, no decurso do XL curso básico da Escola Prática da Polícia, em Matalane, distrito de Marracuene, província de Maputo.

A informação foi partilhada hoje, em Maputo, pela ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, na sessão de perguntas ao Governo pelos deputados da Assembleia da República.  

A sanção, segundo a ministra, foi o culminar de um processo disciplinar instaurado logo após o caso de assédio sexual ter sido despolectado, em Julho, numa medida que visa servir de exemplo para desincentivar práticas que violam o código de conduta que rege a PRM.

Entretanto, ainda no âmbito da violação de conduta da corporação, de acordo com Helena Kida, mais de 200 membros da Polícia da República de Moçambique (PRM) foram expulsos, de Janeiro a Outubro do ano corrente, por prática de diversas ilicitudes.

 

 

 

 

Classifique este item
(0 votes)