SÍNDROME ULCERATIVA EPIZOÓTICA EM PEIXES DE ÁGUA DOCE: Alerta para a sua disseminação na região da SADC

O peixe representa uma fonte de baixo custo de proteínas, lípidos e minerais importantes para a dieta das populações. Devido ao alto valor nutritivo da carne do peixe, vários cientistas têm estudado os parasitas que infectam os peixes em meio natural, para que se estabeleça uma linha de controlo de infecções parasíticas na piscicultura.

As doenças nos peixes podem ser causadas por vários parasitas desde protozoários, helmintos (parasitas metazoários) (grupo que integra organismos desde os celenterados ao grupo de crustáceos) até aos fungos. Os protozoários e helmintos podem infectar o meio externo ou interno do peixe enquanto os fungos são maioritariamente causadores de doenças na epiderme, camada externa mais superficial, da pele do peixe. No meio natural, fungos da classe Oomycetes são comuns na epiderme dos peixes e três grupos de fungos dos géneros Achlya e Saprolegnia e Aphanomyces são os mais importantes para patologias da epiderme dos peixes tanto de meio natural como na piscicultura.

Do grupo Oomycetes são conhecidos actualmente 40 espécies do fungo Aphanomyces. Estas espécies são categorizadas em 4 grupos de parasitas distintos, em: parasitas animais, parasitas de plantas, saprotróficos e oportunistas. Sete espécies do fungo Aphanomyces são parasitas de animais, de entre estes o Aphanomyces invadans é o agente causador da síndrome ulcerativa epizoótica (EUS, sigla em inglês), também conhecido por micose granulomatosa “acúmulo de células de defesa” (MG, sigla em inglês) no Japão; doença de mancha vermelha (RSD, sigla em inglês) na Austrália e micose ulcerativa (UM, sigla em inglês) nos Estados Unidos da América [1].

A EUS é uma condição patológica ulcerativa, invasiva e agressiva na camada externa do peixe. O surto da doença foi primeiramente identificado no Japão em 1971 e de seguida reportada em Queensland (Austrália) em 1972. Mais tarde, a doença disseminou-se pela América do Norte e a região Ásia-Pacífico causando perdas económicas substanciais na indústria de piscicultura de vários países nomedamente: Tailândia, China, Vietname, República Democrática Popular do Lao, Malasia, Myanmar, Cambodja, SriLanka, Bangladesh, India, Filipinas, Hong Kong, Nepal, Butão, Singapura e Paquistão [2]. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)