Governo reitera retoma da economia sem prejudicar a saúde

É premente continuar a implementar um "novo normal", permitindo, simultaneamente, a reabertura e funcionamento da economia e a salvaguarda da saúde pública.
Esta posição foi assumida hoje pela ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, dirigindo-se aos deputados da Assembleia da República a propósito do debate do relatório do Presidente da República sobre o termo do segundo estado de emergência com vista a contenção da propagação da Covid-19.
 
 Na ocasião, Helena Kida explicou que durante o segundo estado de emergência a pandemia da Covid-19 em Moçambique foi caracterizada pelo aumento do número de casos, hospitalização e óbitos, alteração do padrão de contaminação na cidade de Maputo, que passou de um padrão de focos de transmissão para uma transmissão comunitária.
 
A ministra acrescentou que durante o último período de estado de emergência foram reforçadas as orientações metodológicas sobre medidas de prevenção, através de órgãos de comunicação social, redes sociais, plataformas electrónicas, entre outros.
 
O Governo prosseguiu com acompanhamento da situação das empresas para aferir o cumprimento das medidas que foram adoptadas no âmbito do estado de emergência.
"Verificou-se, igualmente, que algumas empresas retomaram as suas actividades, reduzindo, deste modo os números de empresas e trabalhadores afectados. Ainda neste âmbito, visando mitigar o impacto da pandemia e proteger o emprego, foi concedido o perdão de multas e redução de juros de mora nas contribuições do Sistema Nacional Segurança Social Obrigatório em obediência ao estabelecido no Decreto n.37/2020, de 2 de Junho", destacou.
 

Kida sublinhou que o Governo garantiu assistência médica e medicamentos aos detidos e condenados e assegurou a disponibilidade de informação aos seus familiares. 

Classifique este item
(0 votes)