Apelos ao fim do terror marcam abertura da II Sessão da AR

Basta de terror, de mortes de concidadãos inocentes e de destruição de infra-estruturas. Entreguem as armas e juntem-se a grande família moçambicana, a vossa família.

Esta exortação foi feita esta manhã, em Maputo, pela Presidente da Assembleia da República (AR), Esperança Bias na abertura da II Sessão Ordinária da IX Legislatura do parlamento moçambicano.

Na ocasião, instou a auto-proclamada Junta Militar da Renamo, a parar com as atrocidades que vêm perpetrando nas províncias de Sofala e Manica.

Condenou também os ataques terroristas que semeiam luto e dor  na província de Cabo Delgado, considerando-os de actos contrários à civilização, convivência pacífica entre os povos e à promoção do Estado de Direito Democrático.

 “Apelamos a todos os moçambicanos para a vigilância redobrada e denúncia às autoridades, de qualquer acto de incitação à violência, à desordem social e à tentativa de denegrir a imagem do nosso país, dentro e além-fronteiras”, disse.

Esperança Bias reconheceu a entrega das Forças de Defesa e Segurança na  defesa da soberania e integridade territorial e pediu que continuem a fazer uma perseguição cerrada aos terroristas e assassinos, no sentido de repor  a ordem e tranquilidades públicas no país.

Por seu turno, Sérgio Pantie, chefe da bancada parlamentar da Frelimo, considerou a situação vigente no Centro e Norte de inaceitável e disse que os moçambicanos devem repudiar as matanças e destruição do tecido social e económica.

Enquanto isso, Lutero Simango, chefe da bancada parlamentar do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), afirmou que a violência armada que está grassando o Centro do país tem que terminar através de um diálogo envolvente com a junta militar da Renamo, e não por via de mais violência.

 Já o chefe da bancada parlamentar da Renamo, Viana Magalhães, destacou  que o país não deve continuar a assistir impávido a violação dos direitos humanos, apelando às investigações sérias e de forma responsável no sentido de se responsabilizar os infratores.

Refira-se que a presente sessão tem um rol de 31 pontos com destaque para a Informação Anual do Presidente da República sobre o estado da Nação; as Propostas do Plano Económico e Social e do Orçamento de Estado para 2021; a Informação Anual do Provedor de Justiça, constituição da Comissão Nacional de Eleições, entre outras matérias.

 

Classifique este item
(0 votes)