UE apoia no combate ao terrorismo

Já está decidido. A União Europeia (UE) vai apoiar Moçambique no combate ao terrorismo, em resposta ao pedido de ajuda formulado pelo Governo nesse sentido.

O anúncio foi feito pelo embaixador da UE em Moçambique, António Sanchez Gaspar, após um encontro, sexta-feira, em Maputo, com a ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo.

Trata-se de uma ajuda tripartida para as áreas de formação dos elementos das Forças de Defesa e Segurança, assistência à emergência humanitária e ao desenvolvimento da região Norte do país.

Apontando o combate ao terrorismo como urgente, António Sanchez Gaspar disse que a UE não pode ficar indiferente aos problemas que o país enfrenta.

Sem se referir aos montantes envolvidos no apoio, assegurou que um dos objectivos da cooperação é fortalecer a massa das políticas e estratégias do Governo de Moçambique.

“Vamos redobrar, intensificar todos os nossos esforços sobre a base das políticas e das estratégias do Governo de Moçambique, sobre a base de uma tripla conexão: humanitária, segurança e desenvolvimento”.

 

PNUD CONGRATULA ESFORÇOS DO GOVERNO

 Enquanto isso, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) congratula os esforços do Governo e parceiros que têm em vista reduzir o sofrimento dos deslocados da acção de terroristas nas regiões Centro e Norte da província de Cabo Delgado.

Fonte do PNUD disse que “não só porque é muito trabalho que está a ser feito, mas também porque é de facto uma real visão de reconstrução de vida em dignidade para pessoas que são deslocadas”.

Por seu turno, a directora para as organizações internacionais e conferências no Ministério dos Négocios Estrangeiros de Cooperação, Ana Wayene, disse ser desafio do Governo a provisão de apoios e a melhoria das condições de vida dos deslocados. “Nós, como ministério, continuaremos a trabalhar com os nossos parceiros no sentido de mobilizá-los para ajudar neste trabalho que já está sendo feito pelo Governo da província de Cabo Delgado”.

O secretário de Estado em Cabo Delgado, Armindo Ngunga, garantiu, na ocasião, que o Governo da província vai continuar a criar melhores condições de vida dos deslocados ao mesmo tempo que apelou às várias organizações a prestarem apoio aos necessitados.

“Pedimos, aliás, ao PNUD para que seja o nosso embaixador no contacto com os outros parceiros para que esta tarefa que nos guia para a reconstrução das vidas, redução do sofrimento, para a restauração da esperança dos nossos concidadãos que estão deslocados se reencontrem e sobretudo tenham confiança no futuro”.

Classifique este item
(0 votes)