Digitalização e infra-estruturas desafios da Rádio Moçambique

– Abdul Naguibo Abdula, PCA da mais antiga estação emissora do país

ARádio Moçambique assinala 45 anos de existência e exercício. Para o efeito, estão programadas várias actividades no país, entre elas a exibição da exposição fotográfica e de equipamento sonoro que retrata a sua evolução durante os 45 anos, visita a campas de ex-colegas assim como jornadas de plantio de árvores.

Doravante, para acompanhar o dinamismo das rádios, a Rádio Moçambique (RM) tem pela frente o desafio de modernizar-se e digitalizar-se, apostando igualmente nas infra-estruturas adequadas e que possam suportar a evolução tecnológica. Para melhor compreender o que está a ser feito, domingo conversou com o presidente do Conselho de Administração da RM, Abdul Naguibo Abdula.

A Rádio Moçambique emite, através da Antena Nacional, em Maputo, e em dez emissores provinciais, tendo quatro canais especializados (rádios Cidade Maputo e Beira, RM Desporto e Maputo Corridor Radio).

“A RM ultrapassa a barreira de analfabetismo, pois as suas emissões são feitas em 19 línguas moçambicanas de origem bantu, mais o português e inglês. Nos emissores provinciais, de uma média de 19 horas de emissão diária, 15 são de línguas nacionais. Portanto, somos de longe o maior promotor das línguas e mosaico cultural do país. Asseguramos o desiderato da unidade nacional através das línguas”, explica Abdul Naguibo.

Em termos de cobertura, a RM dispõe actualmente de 11 emissores de ondas médias e 72 emissores de Frequência Modulada (FM), 43 dos quais nos distritos. Leia mais...

Texto de Frederico Jamisse

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)