IMOBILIÁRIA VS. COVID-19: Mesmo com preços a cair compram-se menos casas

Com perdas situadas em torno de 42 por cento, o sector imobiliário, no país, está a passar por momentos de incerteza, devido aos efeitos da covid-19. As vendas e arrendamento de casas reduziram drasticamente mesmo com preços baixos, ora praticados como forma de aliciar os compradores e os inquilinos.

Este cenário intensificou-se com o encerramento de alguns escritórios e o regresso de expatriados aos seus países de origem após a eclosão do novo coronavírus no país.

Este sector, depois de observar, no ano passado, uma ligeira procura e pouca oferta, esperava, este ano, inverter o cenário, na ordem de 34 por cento.

No entanto, segundo um estudo do Instituto Nacional de Estatística (INE), foram afectadas pelos efeitos da covid-19 304 empresas de actividade imobiliária, acentuando as perdas em torno de 42 por cento.

O estudo apontou ainda que as políticas económicas do país devem amortecer as perdas de renda familiar, bem como fornecer apoio às empresas. Além de fornecer estímulo para aumentar a demanda e incentivar a realocação de recursos de sectores que provavelmente emergirão persistentemente menos, após a pandemia.

Os formuladores de políticas devem cooperar para resolver as tensões comerciais e tecnológicas que ameaçam uma eventual recuperação da crise da covid-19. Leia mais...

Texto de Idnórcio Muchanga

idnóThis email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)