COMBATE A CAÇA FURTIVA: Reforçada fiscalização nas fazendas de Magude

 

Mais de 100 jovens, residentes em diferentes comunidades do posto administrativo de Mapulanguene, distrito de Magude, foram admitidos recentemente em duas fazendas que funcionam naquele ponto da província de Maputo.

A maioria foi afecta no sector de fiscalização das áreas de conservação, outros estão a trabalhar na manutenção da rede de vedação das fazendas e alguns nas áreas de limpeza e cozinha.

Segundo o chefe do posto administrativo de Mapulanguene, Fernando Djindje, alguns destes jovens eram caçadores furtivos. Para permitir o melhor controlo, os proprietários das fazendas anunciam as vagas, e as autoridades comunitárias fazem a selecção dos jovens.

A medida está inserida na responsabilidade social das fazendas que operam no distrito, mas também consta nas estratégias do governo local, com vista a conter os níveis de caça furtiva.

Ainda no âmbito da responsabilidade social, houve a construção de 13 salas de aulas, dois centros de saúde do tipo II, abertura de furos de água, para além de entrega de um tractor que serve para limpeza dos campos de cultivo.   

Acredita-se que o número de postos de emprego poderá aumentar nos próximos tempos com a entrada em funcionamento de um hotel de sete estrelas que se perspectiva erguer num dos pontos da fazenda Karingane Game Reserve.

Aliás, segundo o chefe do Posto Administrativo de Mapulanguene, os gestores da Karingane Game Reserve já comunicaram que quando iniciarem com os novos projectos, o posto não terá a capacidade de atender a demanda de mão de obra, daí que será necessário recorrer outros pontos do distrito, numa primeira fase, e província de Maputo, na segunda fase.  

De referir que a caça furtiva é uma das actividades criminais que, por um lado, é responsável pela destruição de vários recursos faunísticos em alguns pontos do país, por outro lado, tem resultado na morte de muitos jovens que se fazem as fazendas para adquirir alguns troféus, nomeadamente marfim e corno de rinoceronte.

A iniciativa de abertura de oportunidades de emprego  satisfaz as autoridades, como também os beneficiários, pois contam que conseguem atender as necessidades da família, sem correr o risco de serem mortos durante o confronto com os fiscais.

Alguns já reconhecem a importância da conservação dos recursos fantásticos e garantem respeitar todas as recomendações emanadas por lei. As autoridades tradicionais defendem que actualmente, os indivíduos que praticam a caça naquelas fazendas vem da província de Gaza.   

O chefe do Posto Administrativo de Mapulangueene, considera que há necessidade de aumentar o número de fiscais nas fazendas, visto que ainda há focos desta prática. No mês passado, houve o registo de um caso, na reserva de Masintonto. Logo que foi descoberta da sua presença os meliantes puseram-se em fuga e deixaram para trás o equipamentos.

O melhor fiscal é a comunidade. São as próprias populações que denunciam ou frustram a acção dos furtivos. Em Mapulanguene a população está em alerta. Notamos que os furtivos já perderam campo de acção, referiu.

Classifique este item
(0 votes)
Script: