Director geral das Alfândegas apela ao maior controlo aduaneiro

O director geral das Alfândegas, Taurai Tsama, defendeu, recentemente, que o “braço aduaneiro” da Autoridade Tributária (AT) tem de se desfazer das diferenças de cada membro da corporação e juntar sinergias de modo a imprimir maior controlo aduaneiro e consequente incrementação dos níveis de cobrança de receita para os cofres do Estado.

Tsama pronunciou-se nestes termos na sua passagem pelas províncias nortenhas de Nampula e Niassa, onde, igualmente, lançou o repto aos funcionários afectos àquele extremo do país a distanciarem-se de comportamentos desviantes, como forma de garantir que a arrecadação de receitas ocorra sem sobressalto e dentro de pressupostos legais.

Segundo o director geral, “é preciso que cada um dos funcionários faça uma introspecção em volta do modus operandi das Alfândegas e conjugar as estratégias tomadas ao nível macro e a realidade no terreno, por forma a garantir uma operacionalização acertada e capaz de solucionar os problemas decorrentes da incursão da força em todas as frentes”.

Classifique este item
(0 votes)
Script: