Não paremos de falar sobre mercados

Aproveitando o facto de um dos temas em análise mediatizada no seio da sociedade maputense ter a ver com a requalificação e organização dos mercados, entendemos que nunca devemos deixar de falar e colocar de lado a questão dos lugares de venda públicos.

Se a sociedade registou uma assinalável evolução ao longo de quatro décadas e meia, somos de opinião que os aspectos de mercados terão de sofrer transformação, ou seja, a realidade de outrora jamais deve ser perpetuada na história do nosso crescimento.

Recuando no tempo, havemos de notar que o Mercado de Xipamanine na década de 40 não era o que hoje é no que respeita ao espaço e número de vendedores. Nos dias de hoje fala-se de 11 mil vendedores retalhistas e de uma área extensa, incluindo um histórico campo de futebol, que acabou por ser tomado para a prática de venda. Leia mais...

Por Benjamim Wilson

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Script: