A confissão de Gorbatchev!

Mikhail Gorbatchev ficou conhecido pelas suas reformas económicas (Perestroika) e políticas (Glasnost), anunciadas oficialmente a 20 de Abril de 1985. Muitos analistas atribuem a queda da URSS, em 1991, aos erros de implementação destas políticas reformistas, que visavam restaurar a economia e a moral política da URSS.

Sem negar os erros cometidos na implementação da Perestroika e do Glasnost, Gorbatchev veio a terreiro para fazer a sua leitura sobre o descalabro das duas políticas reformistas e por essa via da URSS e disse: “a Perestroika foi interrompida por causa da tentativa de golpe de estado de Agosto de 1991 e daqueles que fizeram o uso da situação emergente após a tentativa de golpe para destruir o país”. Desta afirmação de Gorbacthev compreende-se que para ele as reformas falharam por causa da acção de dois tipos de actores, nomeadamente: os golpistas e os aproveitadores da situação de emergência pós-tentativa de golpe de estado.

Em relação aos golpistas, sabe-se que a tentativa de golpe iniciou a 19 de Agosto de 1991, enquanto Gorbatchev estava de férias, em Crimeia. A tentativa de golpe foi dirigida por oito membros de alto nível do estado soviético conhecidos como Comité Estatal de Estado de Emergência (CEEE), nomeadamente: Gennady Yanavev (VicePresidente da URSS), Valentin Pavlov (Primeiro-Ministro), Boris Pugo (Ministro do Interior), Dimitry Yazov (Ministro da Defesa), Vladmir Krychkov (Director do KGB), Oleg Baklanov (Primeiro Vice-Director do Conselho de Defesa), Vasily Starodubtsev (Director da União dos Camponeses) e Alexander Tizyakov (Presidente da Associação das Empresas do Estado). Leia mais...

 

Por Paulo Mateus Wache*

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)