O substituto do director provincial de Educação e Cultura de Manica, Cardoso Manuel Bacar, disse ao nosso jornal que uma das alternativas para os alunos que ficarem sem vagas será 

o ensino à distância.

 

Sem avançar números, reconheceu que as vagas existentes são insignificantes quando comparadas com a cifra dos novos ingressos para o presente ano. “ Temos certeza que muitos ficarão de fora. Mas sempre há alternativas. Os alunos podem frequentar o ensino à distância para não perderem o ano lectivo” apelou Bacar.

 

Naquilo que são os esforços do sector da Educação em Manica para a expansão da rede ensino e responder à procura de vagas, 55 novas salas de aulas entrarão em funcionamento no presente ano lectivo. Grande parte destas foram construídas na zona norte da província, concretamente nos distritos de Báruè, Guro e algumas na cidade de Chimoio.

 

As que se encontram na cidade de Chimoio funcionarão como alternativas do Instituto Industrial e Comercial Joaquim Marra, visto que as actuais instalações serão entregues na totalidade,  ainda este ano, à Igreja Católica.

 

No presente ano, através dos fundos do governo central, serão construídas outras 55 novas salas de aulas e adquiridas cinco mil carteiras escolares, 200 secretárias e igual número de cadeiras. No ano passado, a província obteve 3.756 novas carteiras, 150 secretárias e cadeiras.