O país está a criar condições para a introdução do visto online como forma de dinamizar o sector de turismo e elevar a qualidade dos serviços prestados aos visitantes.

A informação foi avançada esta tarde, em Maputo, pelo Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, na abertura da 7ª Edição da Feira Internacional de Turismo de Moçambique denominada FIKANI.

O evento, que decorre até 03 de Novembro, é um espaço para negócio, firmação de parcerias e partilha de experiência entre as instituições nacionais e estrageiras ligadas ao turismo.

Na ocasião, Carlos Agostinho do Rosário disse que durante a visita efectuada aos standers notou, com satisfação, a predominância de produtos e serviços turísticos oriundos de todas as províncias do país.

A qualidade e diversidade de produtos e serviços expostos nesta feira são prova inequívoca de que o turismo em Moçambique é um forte indutor de ligações de vários sectores de actividades e com efeito multiplicador na criação de emprego e renda para os moçambicanos”.

Segundo o Primeiro-Ministro, é neste contexto que o Governo está a implementar o Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Turismo 2016-2025, com objectivo de tornar Moçambique um destino turístico cada vez mais atractivo do mundo.

A par disso, foram feitas várias reformas com destaque para a liberalização de espaço aéreo e introdução de visto de fronteira, o que está a concorrer para a facilitação da entrada de turistas. “Como resultado destas acções, recadamos, em 2018, 241.8 milhões de dólares americanos, contra 196 conseguidos em 2015”.

 

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,72 62,95
ZAR 4,18 4,26
EUR 68,69 70,06

18.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 311 visitante(s) ligado(s) ao Jornal

+ lidas