Novo medicamento – anti-retroviral, diga-se-está a ser testado pelo Ministério da Saúde (MISAU), visando a redução do risco de infecção por HIV, o vírus que causa a SIDA.

 Deve ser prescrito por um profissional de saúde, não sendo, portanto, de venda livre nas farmácias.

Para evitar a infecção, deve ser tomado com uma antecedência de uma semana antes da exposição, devendo o fármaco ser administrado diariamente desde então.

Francisco Mbofana, secretário executivo do Conselho Nacional de Combate à SIDA, explicou na passada sexta-feira em Maputo que o fármaco não é para todos, sendo a prioridade reservada aos cidadãos que vivem em risco contínuo. Arrolou como grupos de risco as trabalhadores de sexo, homens que fazem sexo com homens, jovens e adolescentes entre os 15 e 24 anos.

Texto de Bento Venâncio
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Leia mais...