Pesca desportiva. Praias. Passeio a cavalo. Os três parâmetros formatam o triângulo que melhor define o turismo em Marracuene, um distrito vizinho da capital do país.  

A busca do lazer cresce quase na mesma proporção da demanda por espaço de habitação. Os conflitos de terra são uma variável constante quando se equaciona a expansão de espaço urbano.

O turismo confere assinalável impulso ao desenvolvimento de um distrito com 230.530 habitantes que vivia, sobretudo, da agricultura e pesca.

Com um acumulado de 243 estabelecimentos turísticos, entre lodges, restaurantes, campismo, alojamento e hotéis, dispõe de uma capacidade total de 2287 quartos.

No ano passado, registou um crescimento de 7,8% na sua produção global, destacando-seprecisamente os sectores de turismo e agriculturano desempenho económico do distrito.

Em declarações ao domingo, o administrador de Marracuene, Juvêncio Mutacate, sublinhou que o seu Executivo tem vindo a capitalizar o turismo para dinamizar a vida das populações e tirar dividendos nas praias, vistas pelos turistas como lindos cartões postais ao largo de 40 quilómetros de costa caracterizados por ambiente propício à prática da pesca desportiva e passeio de cavalos.

A construção da ponte sobre o rio Incomáti veio dar uma espécie de lufada de ar fresco, pois a infra-estrutura assegura a travessia segura de pessoas e bens para macaneta e posto administrativo de machubo.

“A ponte está a facilitar a entrada de novos investimentos em macaneta e escoamento dos produtos agrícolas e pesqueiros”, afirma o administrador Juvêncio Mutacate. Leia mais...

Texto de Bento Venâncio

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.